Pular para o conteúdo principal

Monitorando o Paciente: Pressão Venosa Central

A pressão venosa central (PVC) é a função de quatro forças independentes, sendo elas:
1) Volume e fluxo de sangue na veia cava
2) Distenbilidade e contratilidade das câmaras direitas durante enchimento
3) Atividade venomotora da veia cava
4) Pressão intratorácica

Quando o funcionamento das câmaras cardíacas direitas e a pressão intratorácica estão normais, a PVC pode ser usada com reflexo do volume intravascular.

Para a mensuração da PVC requere-se a colocação de um catéter venoso central na veia cava cranial com sua extremidade próxima a base do coração. O catéter é conectado a um equipo com fluido e perpendicularmente a um manômetro de água através de uma torneira de três vias. O ponto zero do manômetro de água é colocado ao nível do átrio direito. Uma linha horizontal é traçada da entrada do tórax e do manômetro estabelecendo o nível de referência zero. Para a mensuração, o manômetro é preenchido com fluido e, em seguida, a válvula é aberta em relação ao paciente, permitindo a entrada do fluido para o paciente permitindo que haja o equilibrio em relação ao nível de fluido e a pressão venosa. O nível de fluido pode variar alguns milímetros a cada movimento respiratório ou com os batimentos cardíacos. Realiza-se 3 leituras para garantir valores consistentes.

Valores normais de PVC são reportados como -1 a 5 cmH2O. Entretanto, pacientes críticos são ressuscitados a valores supranormais e a PVC é mantida entre 5 e 8 cmH2O. Valores abaixo de 5 cmH2O são sugestivos de volume intravascular insuficiente. Valores acima de 14 cmH2O podem significar  insuficiência cardíaca direita ou sobrecarga de volume. A PVC pode estar aumentada devido a outros fatores além dos citados anteriormente, sendo eles, devido a ocupação do espaço pleural, mediastinal ou pericárdico e também, por hipertensão pulmonar.

A PVC pode ser usada como guia em reposições volêmicas agressivas, usando como valor de referência 5 a 8 cmH2O. Caso haja persistência valores inferiores a 5 cmH2O durante a reposição, deve-se associar fármacos vasopressores ou inotrópicos positivos. 

Em situações onde a PVC mantém-se acima do valor de referência, deve-se suspeitar de sobrecarga de volume ou insuficiência cardíaca direita, devendo diminuir o fluxo de fluido e perante avaliação usar diurético ou medicação para melhorar o funcionamento cardíaco.

Ref.: Angel Rivera. Central Venous Pressure. Disponível em: http://www.animalemergencycenter.com/education.html 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Monitorando o Paciente: Débito Urinário

A principal função dos rins é excretar produtos metabólicos e reabsorver água e eletrólitos vitais. O volume e o conteúdo da urina produzida é resultado da funcionamento dos néfrons, constituídos pelos glomérulos e túbulos renais. O volume da urina é dependente da taxa de filtração glomerular (TFG) e da habilidade dos túbulos renais reabsorverem sódio e água. Os fatores que controlam a TFG são: o tamanho da leito capilar glomerular, a permeabilidade dos capilares e os gradientes de pressão hidrostática e oncótica através das paredes dos capilares. Os fatores que comandam a função das células tubulares incluem: utilização de oxigênio, disponibilidade de glicose e a integridade dos sistemas enzimáticos celulares. Variações nesses fatores tem resultados prognósticos. Com a pressão arterial média abaixo de 60 mmHg, o gradiente de pressão hidrostática declina através dos leitos capilares glomerulares e a filtração glomerular quase para. Hipóxia grave prolongada pode causar disfunção ou mor…

Monitorando o Paciente: Capnometria e Capnografia

Capnometria é o modo não invasivo de monitorar a pressão parcial do end-tidal CO2  e é definido como mensuração e valor numérico do end-tidal CO2 (EtCO2). Capnografia é  a mensuração e a apresentação gráfica da PCO2 expirada vs tempo. CO2 exalado é reflexo da produção de CO2 (metabolismo), transporte e eliminação (ventilação).

Há várias técnicas de mensuração de CO2, sendo a mais utilizada é a absorção por infravermelho. A técnica consiste na análise de absorbância da amostra o qual se compara com uma amostra padrão já conhecida.

De acordo com o método de amostragem os aparelhos podem ser divididos em sidestream ou mainstream. Os monitores sidestream coletam amostras continuamente do circuito para uma célula de mensuração, já os monitores mainstream usam amostras diretamente do circuito, pois a célula de mensuração está entre o tubo endotraqueal e circuito ventilatório.
O capnograma normal apresenta 4 fases:

Fase I: representa o início da exalação, o qual o PCO2 permace quase zero enq…

Hemorragia Abdominal

Hemorragia abdominal geralmente é resultado da ruptura de órgãos parenquimatosos, lesão de vasos abdominais ou coagulopatia. A presença de sangue na cavidade abdominal pode gerar episódio de dor aguda e grave devido ao contato do sangue com a cavidade e estruturas internas. As principais etiologias são: rupturas de massas esplênicas e/ou hepáticas e trauma abdominal.
A apresentação clínica varia de acordo com o início da hemorragia, podendo ser aguda ou crônica.
Apresentação aguda apresenta sinais de choque hemorrágico como mucosas pálidas, tempo de preenchimento capilar aumentado e taquicardia (cães).
A apresentação crônica pode permitir uma compensação cardiovascular e portanto podem apresentar relutância em deitar ou ficar em repouso, distensão abdominal, coluna arqueada, febre, anorexia e/ou depressão. Sopro pode estar presente devido a anemia.
Hematoma periumbilical (sinal de Cullen) ou inguinal são indícios fortes de hemorragia abdominal. Na palpação abdominal deve ser realizada na …